domingo, 14 de julho de 2013

NAVIO-MOTOR PORTUGUÊS “CORVO” (2)


O CORVO (2) fundeado no estuário do Tejo em 1975 / Autor desconhecido - foto transmitida por Nuno Bartolomeu, Almada/.

O MERIGNAC / Autor desconhecido - Photoship Co. UK).






O MAIA no rio Douro / Autor desconhecido - fotos transmitidas amavelmente por Nuno Bartolomeu, Almada /.


CORVO (2) – navio-motor; imo 5080720/ 64m/ 898tb/ 12nós; 08/04/1954 entregue pelos Ateliers et Chantiers de La Seine Maritime (Worms & Cie.), Le Havre, como MERIGNAC a Worms & Cie, Le Havre; 1954 CORVO, EIN – Empresa Insulana de Navegação, Lisboa; 1955 acrescido para 73,1m/ 1.014tb; 1958 CORVO, Mutualista Açoreana de Transportes Marítimos, Lisboa; 1974 MAIA, Mutualista Açoreana de Transportes Marítimos, Lisboa. O nome foi alterado para MAIA, para dar nome a uma nova unidade em construção nos Estaleiros Navais do Mondego, Figueira da Foz; 1976 MAIA, ETE – Empresa de Tráfego e Estiva, Lisboa, que o converte no estaleiro da Socarmar, Seixal, num batelão não motorizado, para serviço fluvial no Tejo, na baldeação de cargas dos graneleiros fundeados no chamado Mar da Palha para os terminais em terra; 1998 MAIA, José Moreira & Irmão, Várzea do Douro, que o transforma no estaleiro de Mochões, Alfeite, em draga de extração de inertes, autopropulsora com ponte de comando, tendo sido rebocada desde o Tejo para o Douro, onde começou a operar na zona entre Crestuma e Entre-os-Rios. Em 07/1913 continuava em serviço activo no rio Douro.
Fontes: Miramar Ship Index; Nuno Bartolomeu, Almada: Photoship Co. UK.
(Rui Amaro)

ATENÇÃO: Se houver alguém que se ache com direitos sobre as imagens postadas neste blogue, deve-o comunicar de imediato. a fim da(s) mesma(s) ser(em) retirada(s), o que será uma pena, contudo rogo a sua compreensão e autorização para a continuação da(s) mesma(s) em NAVIOS Á VISTA, o que muito se agradece.
ATTENTION. If there is anyone who thinks they have “copyrights” of any images/photos posted on this blog, should contact me immediately, in order I remove them, but will be sadness. However I appeal for your comprehension and authorizing the continuation of the same on NAVIOS Á VISTA, which will be very much appreciated.

2 comentários:

Anónimo disse...

Julgo que o antigo Corvo não era 1 navio-motor , mas sim navio-turbina, pois era propulsionado por duas pequenas turbinas a gaz com 1.200 cv. aliás um sistema revolucionario nos meados da decada de cinquenta.
Saudações para o autor do melhor dos blogues sobre navios portugueses.

Rui Amaro disse...

Caro Anónimo
Pois ´r capaz de ter razão. A minha fonte Miramar Ship index (Lloyd's Register) indica 1GT . 12nós,que equivale a uma turbina a gás - velc- 12 nós.
Eu nos meis artigos costume mencionar vapor se for a fogo ou a oleos pesados, e navio.motor se for a diesel, gasoil.
De qualquer maneira agradeço o seu comentário
Saudações marítimo entusiásticas
Rui Amaro